jueves, 22 de junio de 2017

Conselhos para o cultivo hidropônico

Conselhos para o cultivo hidropônico

  1. Não exponha as raízes à luz. Isso pode trazer consequências negativas para o crescimento da planta.
  2. Remova todas as folhas mortas, corte as folhas e os galhos das plantas doentes e, não misture esse material com a compostagem.
  3. Deixe que as plantas tenham acesso suficiente ao oxigênio, que há no ar, para crescer e absorver água e nutrientes.
  4. Cuidado com a drenagem mal feita, porque isso pode tolher o desenvolvimento da planta, fazê-la murchar e, provocar descoloração  das folhas.
  5. Além de contribuir para a estética, em se tratando de plantas trepadeiras, não deixe que suas folhas fiquem no chão, para evitar doenças, ao entrar em contato com o solo.

Substratos

Você pode usar vários substratos: areia grossa (peça areia de rio lavada), cascalho, perlita, vermiculita grossa e lã mineral.
perlita e a vermiculita grossa são boas escolhas porque vêm esterilizadas, são uniformes e, tem para pronta entrega nos grandes shoppings de plantas.
água pode forçar a planta a gastar toda a sua energia disponível, para desenvolver um sistema extensivo de raiz, que pode resultar em um pequeno broto atrofiado. Por essa razão, é importante que o ambiente, onde a planta se desenvolve, seja irrigado e, em seguida, drenado.
No cultivo hidropônico, a planta tem de ser drenada o tempo todo.

Luz

A quantidade de luz necessária varia de planta para planta.
A maioria das plantas frutíferas como milho, tomate e pimentões precisam de 8 a 10 horas de luz do sol por dia. Para que essas plantas cresçam dentro de casa, é necessário colocar luz artificial para prover luz de alta intensidade, sem fazer com que a temperatura cresça além dos níveis aceitáveis.
Por outro lado, muitas plantas ornamentais, assim como plantas com folhagem precisam menos da luz do sol que as plantas frutíferas, por isso, elas ficam muito bem dentro de casa. Um erro comum, no que diz respeito ao cultivo hidropônico, é tentar cultivar plantas com pouca luz, quando elas precisam de muita luz do sol.

Nutrientes

O principal ingrediente na receita de um cultivo hidropônico bem sucedido chama-se solução nutritiva. No cultivo tradicional, que usa terra, a planta recebe o fertilizante, que vem da lenta decomposição da matéria orgânica e, da liberação dos nutrientes minerais, que vêm do solo.
cultivo hidropônico provê, de imediato e de uma forma completa e balanceada, minerais solúveis em água diretamente para as raízes, o que elimina a necessidade da terra.
Para a planta crescer são necessários 16 elementos: as plantas extraem vários desses elementos, como por exemplo, oxigênio, carbono e hidrogênio da água e do ar. Os demais elementos devem ser suplementados pela solução nutritiva.
Os macronutrientes primários são: nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K).
Os macronutrientes secundários são cálcio (Ca), magnésio (MG) e sulfa (S).
Essas distinções são baseadas na quantidade de cada nutriente que a planta precisa.
Micronutrientes como ferro (Fe), manganês (Mn), boro (B), molibdênio (Mo), zinco (Zn), cobre (Cu) e cloro (Cl) são usados em quantidades muito pequenas pelas plantas, daí o nome  micronutrientes. Às vezes, os micronutrientes estão presentes como impurezas na água e no substrato sólido.

Nitrogênio

O nitrogênio é fundamental para o desenvolvimento de novas folhas e galhos, assim como para o desenvolvimento geral da planta.
Uma quantidade excessiva de nitrogênio pode enfraquecer o  crescimento da planta e, a possível demora na produção do fruto e da flor. Os sintomas de falta de nitrogênio são o amarelamento das folhas e, um crescimento fraco e espigado.

Fósforo

O fósforo é usado pela planta na fotossíntese e, na produção de flores e sementes. O fósforo também ajuda a raiz a crescer forte. Quando os níveis de fósforo estão baixos as folhas mais velhas começam a ficar numa coloração de um verde intenso e, desenvolvem descolorações nas cores marrom e roxo. Outros sintomas podem ser pouco crescimento e amarelamento das folhas mais baixas.

Potássio

O potássio é necessário durante todos os estágios de crescimento da planta, particularmente durante o desenvolvimento dos frutos. Entre os processos envolvidos com o potássio estão: a produção de açucares, amidos e clorofila. O potássio ajuda a planta a fazer bom uso do ar e da água, regulando as aberturas estomáticas das folhas, além de ajudar a planta a desenvolver raízes fortes. Os sintomas de deficiência de potássio são: manchas e amarelamento das folhas mais velhas, geralmente pelas bordas, além da queda de flores e frutos.

Cálcio

O cálcio é utilizado pela planta durante o crescimento das células. Ele também age com um regulador do excesso de nutrientes no solo. Dá para saber que uma planta está deficiente de cálcio, quando as folhas novas enrolam e param de crescer e, também quando as pontas dos talos caem. Por outro lado, o excesso de cálcio pode impedir o crescimento de uma planta jovem.

Magnésio

magnésio é fundamental para a absorção de luz e, é o elemento central na estrutura da molécula de clorofila. Os sintomas de deficiência de magnésio incluem o enrolar das bordas das folhas, o amarelamento das folhas mais velhas (as veias permanecem verdes) e, eventualmente, as extremidades adquirem um tom de verde vivo.
Você pode encontrar as soluções nutritivas nos shoppings de plantas
Os elementos necessários para se plantar com sucesso no sistema hidropônico são encontrados facilmente, já prontos, em catálogos de jardinagem, em shoppings de plantas, em empresas de fertilizantes e empresas especializadas em produtos para o cultivo hidropônico.
Os amantes da hidroponia poderão confiar nessas soluções comerciais que estão disponíveis.
Por outro lado, é possível preparar as suas próprias soluções nutritivas em casa também.
As soluções nutritivas hidropônicas contêm vários tipos de sais nutritivos, solúveis em água, geralmente misturados em um volume grande de água, numa concentração pronta para ser usada nas plantas.

No hay comentarios:

Publicar un comentario